No dia 26 de agosto vai começar um novo projeto onde eu e a Revista Elementos estaremos envolvidos. O projeto vai se chamar Quarta Elementos e será realizado no Executivo Club, no centro de São Paulo.

O convite para esse projeto partiu do Enéas e do DJ Nato pk (PDD), que também envolveram na idéia o DJ Marco. A idéia inicial era a de resgatar o Rap brasileiro que é pouco tocado nas festas, existem muitas músicas importantes para a história do nosso Rap que estão esquecidas, verdadeiros clássicos que precisam ser resgatados.

Esse projeto será como contar a história através dos toca-discos, pois como diz um amigo DJ, “a história está sendo contada de 2000 pra cá” e antes disso aconteceu muita coisa importante. Vejam a imagem abaixo:

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Olha só o que rolava na metade dos anos 90, tinha até formulário de votação para a escolha dos melhores do ano. Esse formulário eu peguei na Nation (Hole Clube), das mãos do Max (B.O), não lembro se peguei dois ou se não fiz o meu papel votando nos melhores. Na próxima imagem vão ver quem eram os indicados e até as minhas humildes escolhas, com 20 anos de idade.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Até eu me impressionei com as minhas escolhas, nem lembro desse melhor grupo do sul que escolhi! A melhor Equipe de Breaking só podia ser mesmo a Back Spin, era a que eu mais via, Banks, Marcelinho e às vezes Andrézinho eram os dançarinos nos shows de Thaíde e DJ Hum. Não lembro da RapSoulFunk ter um programa de rádio, mas como eles que faziam as festas que eu ia na época e tinham um bom “time” de DJs, votei neles. A performance de palco não tinha como ser outra, apesar da apresentação do Potencial 3 no show dos 300 anos da morte de Zumbi em 20 de novembro de 1995, ter sido a melhor daquele dia.

Era difícil não escolher o Brown como melhor compositor, todos os indicados eram bons e ainda tinha o GOG pra colocar nos “outros”, mas as letras do Brown no Raio X do Brasil eram impossíveis de ser batidas. A escolha do melhor disco foi uma puxada de sardinha pros amigos da D.R.R, na época eu tinha um grupo de Rap e a gente fazia a abertura de alguns shows do De Menos Crime, mas o disco deles era muito bom também. Mas se fosse pra escolher hoje ia ser um páreo duro, todos os discos eram bons, tanto que todos são clássicos. A escolha do melhor produtor também não era fácil, eu não tinha tanto conhecimento técnico pra fazer essa escolha, o Raffa era o mais conhecido e trabalhava com grandes nomes. A escolha hoje ficaria entre ele e os grandes Fábio Macari e Vander Carneiro.

Escolhi o Sistema Negro como melhor grupo do ano, porque conseguiram grandes coisas naquela época, era muito difícil um grupo do interior ser destaque entre tantos grupos bons na capital e eles conseguiram. O melhor do país continua sendo o mesmo, desde que ouvi pela 1ª vez.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Escolhi o P.M.Z como revelação por conta do show no 20 de novembro de 1995, com a participação do Faces do Subúrbio (Recife), foi a primeira vez que ouvi a música “Sou negrão”. Ali foi uma revelação pro grande público, mas a revelação mesmo deveria ser o Camorra ou o Armagedom. Quem lembra desses grupos vai perceber que as indicações eram todas justas e alguns desses grupos ainda estão na ativa. O Conclusão Final, virou apenas Conclusão, é o grupo do Kall (Conceitos de Rua), o Dimensão Negra era do Péricles da Baixada Santista, Legitima Defesa sempre estava na Ton-Ton Clube, Face Negra do Ivo (Cohab I), Tribunal Popular do Bad (SBC), o Ideologia Radical não lembro.

No melhor single escolhi Thaide e DJ Hum, se não me engano, era da música “Afro-brasileiro”. Eram bem poucos os singles lançados naquela época, dos indicados lembro apenas desse do Thaíde e do “Pule ou empurre” do R.P.W. Como melhor DJ, não tenho certeza, mas devo ter escolhido o DJ Hum porque senão o Racionais ia ganhar prêmios demais, só pode ter sido isso… O Kl Jay era de longe o melhor DJ de grupo, o Rodrigo ali indicado deve ser o Nuts. Programa de TV não tinha outro né, era o YO em uma das suas melhores épocas e o grupo de Brasília tinha que ser o “poeta”, apesar de eu gostar muito do Câmbio Negro.

A melhor casa noturna tinha que ser a que eu conhecia melhor, batia cartão lá. O grupo do nordeste também era o que eu conhecia melhor e já tinha visto ao vivo. A equipe de Baile tinha que ser coerente com a melhor casa, o melhor vídeo hoje ficaria entre o “Cada um por si” do Sistema Negro, “Aformaoriginalmental” do D.M.N e o “Manos errados” do Pavilhão 9. O melhor de Funk carioca passei batido…

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Então, o projeto da Quarta Elementos vai resgatar os clássicos dos artistas que foram indicados para essa premiação e ainda voltar um pouco mais no tempo, pois a história também não começou em 1996.

Quem quiser saber mais sobre o projeto CLIQUE AQUI

Anúncios